Por Francisco Galiza*

Para entender para onde o mercado de seguros de automóveis deve caminhar em 2019, precisamos entender primeiro como ele se comportou nos últimos anos. Na tabela abaixo, estão alguns números do mercado de veículos, nos últimos cinco anos.

Anos Produção (mi) Licenciamento (mi) Prêmio Seguro Casco (R$ bi)
2014 3,1 3,5 22,6
2015 2,4 2,6 23,3
2016 2,2 2,1 22,7
2017 2,7 2,2 24,4
2018 2,9 2,6 24,5

 

A partir da tabela acima, observações relevantes podem ser obtidas.

  • Na primeira coluna, encontra-se a produção de veículos no país, ano a ano. Em 2014, foram produzidas 3,1 milhões de unidades. Cinco anos depois, esse número foi 6% menor, pelos efeitos da crise. Essa queda só não foi maior pelas exportações, que compensaram parte das perdas no mercado interno.
  • Na segunda coluna, está o licenciamento de veículos, também ano a ano. Aqui, não houve compensação e a queda foi de 3,5 milhões de unidades em 2014 para 2,6 milhões em 2018. Uma expressiva variação negativa de 26% em cinco anos!
  • A última coluna mostra o faturamento dos prêmios de seguros de automóvel, somente no segmento de casco. Em 2014, o valor foi de R$ 22,6 bilhões; em 2018, de R$ 24,5 bilhões. Em termos nominais, um ganho de 8%. Mas, nesse período de cinco anos, precisamos considerar a inflação acumulada, que foi de 27%. Ou seja, na verdade, houve uma perda real de 15% em cinco anos nos prêmios de seguro de casco.

Ou seja, podemos dizer que esses últimos cinco anos foram difíceis para o segmento de automóvel (indústria e seguro). O motivo é de conhecimento de todos: a crise econômica que abateu o país.

Mas, para 2019, a expectativa é bem mais favorável. Os motivos são diversos. A previsão atual de crescimento do PIB é de 2,5%, o desemprego já está em queda (embora os valores ainda estejam elevados) e a indústria automobilística sinaliza recuperação. Basta observar, por exemplo, que o volume de veículos licenciados cresceu 18% de 2017 para 2018. Apesar disso, é preciso lembrar que a base inicial ainda é menor. Estamos longe do patamar de 3,5 milhões de 2014.

Nesse cenário de recuperação, o corretor deve estar atento. Acreditamos que 2019 pode ser o ano da virada do seguro de veículos. Sucesso!

*Francisco Galiza é sócio da empresa Rating de Seguros Consultoria (www.ratingdeseguros.com.br), mestre em Economia (FGV), membro da ANSP (Academia Nacional de Seguros e Previdência) e professor do MBA-Seguro e Resseguro (Funenseg).

Deixe o seu comentário

Por favor, escreva o seu comentário.
Por favor, insira o seu nome